A Logística de uma dieta

WhatsApp Image 2017-01-24 at 09.58.29

Talvez o elemento mais difícil de ultrapassar numa dieta é a logística que é necessária para a concretizar. Especialmente para mim, que até aqui sempre fui um tipo relativamente descuidado na alimentação, nunca fui muito de me preocupar com o que ia comer no dia seguinte. Mas quando entrei nesta aventura, teve de ser.

Depois de falares com vários nutricionistas, de leres 137 livros e 764 artigos na net sobre alimentação saudável, chegas a um plano. Por dia, tens de ingerir X calorias disto, X calorias daquilo… tens de comer de X em X horas, beber determinado nº de litros de água. Um sem número de regras que tens de cumprir à risca e tu pensas… MAS COMO É QUE EU ME VOU RESOLVER ESTE PESADELO LOGÍSTICO?

A resposta, descobri eu, é com esforço e dedicação. MUITA dedicação.

Porque se tens uma lista exacta daquilo que tens de comer, a que horas tens de comer… tens de preparar tudo de antemão. Porque, apesar de em Lisboa haver cada vez mais opções ao nível da comida saudável, corres sempre o risco de não ter nenhuma dessas opções por perto. Então, passas a ser o gajo que, na noite anterior, prepara todo um jogo de tupperwares com tudo aquilo que vai comer durante o dia. Não vá o diabo tecê-las e te atrasares em determinado compromisso, tens contigo tudo o que precisas para não te desviares daquilo que o teu nutricionista te disse.

Para mim isto não foi fácil. Mas com o tempo, tornei-me pro.

Depois há outra dificuldade, que se prende com o quanto uma dieta tem potencial para afectar a tua vida social. Porque tem, pensa nisso – se tens uma lista infindável de coisas  que não podes comer, e uma lista bastante restrita daquilo que podes ingerir, jantar fora com amigos, por exemplo, torna-se complicado… é possível que vás parar a um restaurante que não tem qualquer opção para ti. E depois, o que fazes?

Mesmo só ir aquele encontro de amigos mais casual, ao final do dia, pode ser difícil… invariavelmente, eles vão beber a sua cervejinha, o seu copo de vinho, o seu gin… e tu não podes. Tens de ficar ali, a rir-te e a conviver, e dás por ti a passar metade do tempo a explicar porque é que não bebes um  copo também.

13 Comment

  1. […] semana, o ator partilhou com os leitores do seu bloguecomo lidou com um dos aspetos mais desafiantes da sua mudança de vida: a […]

  2. Olá!
    Há sempre sacrificios que temos que fazer. O mais dificil, pode ser te mentalizares e começares a fazê-los. Obrigada pela partilha

    Beijinhos
    Eva

  3. Luisa Silva says: Responder

    Olá Diogo, é sempre muito dificil começar uma dieta principalmente se for mesmo radical, mas depois com o passar das semanas começarmos a ver os resultados mesmo que sejam superficiais não dá vontade de parar, e aí esquecemos todos os sacrificios, (pois nada se alcança sem sacrificio) e privações que tivemos para alcançar “aquele” resultado. Beijinhos lindo

  4. Nuno says: Responder

    diz aí a tua dieta

  5. Henrique says: Responder

    Olá Diogo,

    Antes de mais um grande abraço pela excelente transformação. Como falaste e bem, nutrição como qualquer outra coisa neste mundo pode ser explicada de forma matemática e a maneira mais simples é Calorias consumidas x Calorias gastas. De qualquer das maneiras, acredito que aquela velha máxima do culturismo em que só podes comer bróculos, arroz, frango e pescada cozidos está “demodé” e a ciência prova-o. Posto isto, não é por consumires uma certa percentagem do teu intake diário calórico de “bad foods” que os teus resultados vão ser piores. já estás a ver onde quero chegar? “If it fits your macros” ou iifym. É claro que comer 90 ou 100% das calorias diárias em McD ou Domino’s não é razoável, mas uma colher de Ben&Jerry’s a seguir ao jantar ou uma jola a uma sexta à tarde com os amigos não vai ter qualquer importância no resultado final. A entropia que estas “dietas” ou regimes mais apertados causam na vida das pessoas não é saudável ao nível da vida pessoal, social ou profissional e acredito que seja a primeira razão que levam as pessoas menos focadas (que claramente não foi o teu caso) a desistirem de perder peso. Por outro lado, se a forma de perder peso for adaptada à vida da pessoa (e não o inverso) torna-se tudo muito mais simples e a própria aderência ao programa de perda de peso é maior =)

    Concordas com alguns dos meus pontos?

    By the way, passa no meu canal de Youtube em que explico muitas destas coisas:
    https://www.youtube.com/c/HenriqueSardinha

    Grande abraço,
    Henrique

  6. Michael says: Responder

    Olá Diogo quero o contacto do seu/sua nutricionista. Bom trabalho parabéns e cumprimentos

  7. Maria says: Responder

    Hoje vi-o n café e reparei k estava mais magro o k n lhe fica mal, dou lhe os meus parabéns pela iniciativa e coragem. 👏👏💪

  8. JoaoAlmeida says: Responder

    “Se tens uma lista infindável de coisas que não podes comer, e uma lista bastante restrita daquilo que podes ingerir, jantar fora com amigos, por exemplo, torna-se complicado (…). Mesmo só ir aquele encontro de amigos mais casual, ao final do dia, pode ser difícil… Invariavelmente, eles vão beber a sua cervejinha, o seu copo de vinho, o seu gin… e tu não podes. Tens de ficar ali, a rir-te e a conviver, e dás por ti a passar metade do tempo a explicar porque é que não bebes um copo também” in JN. Em resumo Diogo: ganhaste o ‘six pack’ mas perdeste uma vida.

    1. Ping-Pong says: Responder

      Com todo o respeito, parece-me que não analisaste correctamente o que foi dito pelo Diogo. Ele não deixou de estar com os amigos e de sair. Apenas redefiniu as suas prioridades e impôs limitações à forma como passa o esse tempo. Em vez de beber “jolas” e “loirinhas”, por exemplo, passou a rir-se e a conviver sem bebidas alcoólicas (que são muito calóricas). Ao fim ao cabo, acho que não foi assim uma alteração tão grande, ainda que seja prática comum ir bebendo aqui e ali quando se sai à noite ou quando se vai laurear a pevide para uma esplanada. É tudo uma questão de prioridades e critérios que, depois de ter aceitado um desafio destes, só lhe ficou bem redefinir e levar a eito, demonstrando grande força de vontade, determinação e dedicação!

      Se por um lado perdemos o prazer da cervejola, por outro lado ganhamos um corpo que nos deve aumentar a auto-estima, já para não falar na boa impressão que deixa no sexo oposto!

      O essencial em tudo isto é sentirmos-nos bem connosco, não é?

  9. Belinha says: Responder

    Parabéns! Que conquista fantástica (mais uma, eh, eh!! ).

  10. João Moreira says: Responder

    Bom dia Diogo,

    Só lhe posso dar os parabéns por ter embarcado nesta aventura e os parabéns pelos seus resultados, que estão a vista de todos e são espectaculares. Parabéns!!! Agora faço-lhe uma sugestão, partilhe o nome do(a) seu(sua) nutricionista para que outras pessoas possam tentar recorrer aos serviços de alguém que também contribuiu para os seus resultados fantásticos. Eu que até estou a pensar ir a um(a) e depois de ler o seu artigo fiquei curiosíssimo para saber quem foi esse profissional de nutricionismo que esteve envolvido na sua transformação. Cumprimentos e continuação 😉

  11. Roberto Ferrer says: Responder

    Boa alimentacao, bom treino e o resto? Nao dizes!!

  12. Alexandre Carrasco says: Responder

    Olá Diogo,

    Que transformação. Podes contar qual a percentagem de macros usada na tua dieta? Estou curioso para saber como ganhar massa magra e ao mesmo tempo queimar massa gorda.

    Obrigado e continuação.

Deixar uma resposta