Anda comigo ver os aviões

imagem3

Este já é o terceiro artigo que escrevo que envolve o Mateus e os Aviões. Acho que se está a tornar numa saga… Primeiro, a Missão Impossível de fazer viagens de longo curso com um bebé, como aquela que fizemos para os Estados Unidos. Depois, a Missão que se revelou Possível, quando fui sozinho com o Mateus ter com a Vera a Paris.

Agora, o passeio para ver os aviões…

O Mateus adora-os, quando andamos de carro está sempre muito atento ao céu e, quando vê um, aponta e diz “olha um avião muita gande“… Há uns tempos levei-o a ver os aviões “muita gandes”, ali ao pé do aeroporto. E como ele continua deslumbrado com estas máquinas voadoras, levei-o a Tires, para ver os aviões mais pequeninos. “Este vai ser piloto”, pensei eu, mas depois desta visita fiquei com algumas dúvidas…

imagem8 imagem7 imagem5

A verdade é que se ele fica fascinado com os aviões enquanto eles estão lá ao fundo, não gostou tanto de os ver por perto. Aliás, nem consegui levá-lo à hangar onde eles estão estacionados, tal foi o medo destas versões mini.

“Na gosto da garagem gande dos aviões!!”

Ainda estou a tentar perceber o porquê desta diferença em comportamento, ajudas-me? Já te aconteceu algo semelhante?

Partilha nos comentário a experiência com crianças e aviões.

imagem4 imagem2  imagem1 imagem6

4 Comment

  1. Lara says: Responder

    Trata_se do fascínio de voar. As minhas tb gostam e vamos de propósito ver os aviões perto do aeroporto.

  2. Ana says: Responder

    O meu é fascinado por aspiradores..mas se os ligam foge a sete pés! Acho que se sentem fascinados mas intimidados ao mesmo tempo. Pode ser o barulho (no caso do aspirador) ou o tamanho (no caso dos aviões). Basicamente gostam de contemplar à distância 🙂

  3. Ana Gomes says: Responder

    Olá Diogo. Não é muito difícil de perceber a reação deles. Quando observam os aviões no céu, estão a vê-los a uma distância que corresponde àquela com a qual estão habituados a brincar. Ou seja, bate certo com os pequenos modelos que têm no seu quarto. Mas quando se apercebem de que há outros assustadoramente grandes e barulhentos ficam confusos e preferem esquecer que eles existem, dizendo que não gostam daquilo. É a forma que encontram para te dizer “não me voltes a mostrá-los neste formato, quero continuar a vê-los no outro”.

  4. Patricia Lopes says: Responder

    A minha Francisca tem a mesma paixão, deve ter sido por terem nascido no mesmo dia! 😊 obrigada pela dica de Tires. Havemos de lá ir 😉😉;-)

Deixe uma resposta