Primeiro Dia de Escola

whatsapp-image-2016-09-08-at-14-59-28

Ilustração: Hélio Falcão

Em primeiro lugar, uma nota: a minha realidade não é igual à do cartoon que ilustra este post e que está até na homepage desta plataforma (sim, continuo a não querer utilizar a palavra blog). Este ano, a Vera está fora a trabalhar e foi a mim que calhou a árdua tarefa de preparar e organizar tudo para o primeiro dia de aulas. Enfrentei a lista de compras (que se torna maior de ano para ano) e de tarefas para que nada faltasse ao Mateus neste ano lectivo, mas não foi isso que custou mais.

O que dói a qualquer pai ou a qualquer mãe, é aquele momento à porta da escola em que o teu filho te implora para para não o deixares ali, como se o estivesses a abandonar e como se ele não se fosse divertir imenso com os novos ou antigos colegas. Tu sabes isso, mas naquele momento nem sempre é fácil manteres a compostura e não soltar uma lágrima. Armas-te em herói, aguentas como um bravo e fazes-te de forte, mas por dentro algo mói a alma.

Isto de ser pai às vezes torna-se um pouco bipolar. Não me vou alongar sobre a importância da escola para o desenvolvimento da criança – vou tomar isso como ponto assente porque acho que todos sabemos o quão fulcral é para o desenvolvimento cognitivo e social da criança, e por um sem número de outras razões. Levarmos o filho à escola é um momento feliz, um momento de orgulho e de expectativa para o futuro. Mas ao mesmo tempo parece que nos espetam uma faca no peito, a saudade bate ainda antes de ele entrar no portão, ficamos tristes porque parece que nos estão a roubar tempo com o nosso filho.

Primeiro dia de escola… Um misto de sentimentos estranho.

    Education is the most powerful weapon which you can use to change the world
Nelson Mandela

escola

2 Comment

  1. Ana Morgado says: Responder

    Olá Diogo, compreendo muito bem o lado dos pais, nos primeiros dias que deixam os filhos na escola. Eu sou Animadora de ATL e também para mim os primeiros dias de aulas é sempre muito complicado, com muito choro e insegurança por parte das crianças, que é normal, pois muitas delas não nos conhece. Queria eu ter colo para todas, parte me o coração ver uma criança a chorar, mas também temos que ser fortes e aos poucos ganhar a confiança delas. Elas acabam por se habituar à sua nova vida e com o passar do tempo, chegam à conclusão que não foram abandonadas e que os pais voltam sempre para as vir buscar.

  2. Sílvia Fernandes says: Responder

    Hoje é o primeiro dia das minhas filhas no 5º ano e acho que estou a precisar de um calmantezinho para esta ânsia. As suas pernas, os braços e as palavras cresceram de um dia para o outro, já usam calão tipo “bué fixe” e “não sejas cota” (tenho 33). Entraram hoje para um mundo que parece ser menos o nosso mundo e mais o delas. Estou muito orgulhosa, extasiada pelos seres fantásticos que se estão a tornar mas a verdade é que sinto uma nostalgia gigante. Aproveita bem essa fase pois a próxima é de quando abres a porta do carro para ele ir para a escola e ele nem sequer olhar vai olhar para trás para ir para o seu mundo.

Deixar uma resposta